Reflexão: Dicas para tomar decisões com leveza

Decisões

Todos nós vivemos à base de preocupações. Se você parar pra pensar, quase 100% das nossas atitudes são movidas pelos nossos medos, incertezas e inseguranças. Passamos a vida toda tentando satisfazer a necessidade, muitas vezes inconsciente, de agradar os outros, ou, pelo menos, não decepcionar as pessoas ao nosso redor.

Eu sempre tive uma dificuldade particular para tomar decisões. Das mais simples às mais significativas, é muito raro eu não pensar em tooodos os fatores que envolvem aquela decisão, nas consequências dela, em quem vou afetar e o que as pessoas envolvidas vão pensar. E esse overthinking (tem post disso aqui!) dura alguns dias ou até semanas! Acho até que essa é uma característica comum a muitas pessoas, mas, sinceramente, ela passou a me irritar bastante há algum tempo. Não gosto de todo o processo de tomada de decisão (obviamente ele é essencial em alguns contextos!) e de como ele me deixa tensa e ansiosa, muitas vezes sem a menor necessidade. Além disso, notei que, à medida que fui ficando mais velha (tenho 24 anos!), o volume de decisões diárias que preciso tomar aumentou significativamente, juntamente com as responsabilidades. Por um lado, isso significa mais liberdade, mas, por outro, mais tensão.

Percebi que, por um excesso de responsabilidade e de medo de desapontar as pessoas ao meu redor, eu tendo a colocar um peso que não existe em decisões simples. É claro que essa “simplicidade” depende muito da forma como cada um enxerga o mundo e, eu tenho tentado, cada vez mais, enxergá-lo o mais simples possível. Para conseguir tirar esse peso desnecessário de tarefas simples, gosto de pensar que, daqui a uns 70 anos eu vou morrer. Pode parecer dramático e pessimista, mas ajuda muito a deixar as coisas mais leves e diminuir a pressão sobre a vida. Pra quê sofrer com isso ou aquilo se daqui a alguns anos esse “problema” nem vai existir mais?

Quanto à tomada de decisões, especificamente, adotei algumas técnicas bem simples e intuitivas que funcionam muito bem quando nos sentimos em uma encruzilhada. Desde bem pequena, meu pai me ajudava nesse processo me aconselhando a colocar as minhas “opções de decisões” em uma balança invisível, para que fosse mais fácil vizualizar as consequências de cada uma e o peso de cada uma sob vários aspectos. Hoje, já mais madura, faço basicamente a mesma coisa, mas com um raciocínio um pouco mais elaborado. O princípio é bem simples, mas eficaz: pense nas consequências da sua decisão à longo prazo. Não foque no hoje ou no amanhã, mas sim nas próximas semanas, meses ou até anos, dependendo do que a decisão envolve.

Seja qual for o tipo de decisão que precisamos tomar, nossa intuição já tem a resposta certa. Mas, muitas vezes, em meio à tensão do problema, é bem difícil se conectar com nossa intuição e entender a mensagem que ela está tentando nos passar. E sabemos que precisamos ser mais racionais nessas horas, né? As emoções tendem a dominar e acabamos perdendo o foco. Porém, quando focamos nas consequências à longo prazo de cada decisão em jogo, parece que as dúvidas desaparecem e somos deixados com uma resposta leve e lógica em mãos. O segredo é sempre voltar-se pra dentro de você mesmo e se conhecer. Conheça os seus valores, o que importa pra você, o que te faz feliz, o que te causa sofrimento. Não se distancie nunca dos seus princípios e valores. Eles sempre serão seus maiores aliados na hora de tomar decisões importantes. Essa técnica é um verdadeiro exercício mental e requer prática. Mas posso garantir que a vida fica muito mais simples quando pensamos assim. Quanto às decisões mais simples e que nos tiram a paz nem que seja por alguns minutos no dia, experimente agir seguindo o seu instinto rapidamente! Tem funcionado muito para mim e percebo cada dia mais que, bem lá no fundo, ninguém se importa tanto com o que falamos/fazemos ou deixamos de falar/fazer. O peso das decisões, na grande maioria das vezes, somos nós mesmos que colocamos. Vamos colocar leveza ao invés de peso, então? Afinal de contas, daqui a 70 anos nada disso vai fazer sentindo mais e, portanto, tenho mais 70 anos pra ser leve.

 

O que você achou desse post?
  • Ótimo (0)
  • Interessante (0)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Newsletter

Curtiu nosso conteúdo e quer ficar por dentro de tudo o que acontece por aqui? Assine nossa newsletter pra receber, uma vez por semana, o resumo das coisas mais incríveis que encontramos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *